Número de reclamações chega a 40 por dia no Procon de São Paulo;
Entenda como funciona a correção do benefício do INSS


“ Você que contribuiu no período anterior a 1994 para o INSS tem direito a revisão que pode dobrar o valor da sua aposentadoria e ainda receber os atrasados ” .

Com ofertas tentadoras como essa chegando por telefone ou carta, associações prometem ajudar aposentados a aumentar o valor do benefício.

Mas o que eles ganham é uma grande dor de cabeça.

Isso porque, ao comparecerem pessoalmente para uma “consulta gratuita” ao escritório onde funcionam, acabam se associando e assinando contratos que preveem cobranças de mensalidades e honorários. E, quando descobrem que a revisão não tramita na Justiça, não conseguem cancelar o serviço. Só no Procon de São Paulo, são 40 reclamações por dia.

Devido à prática, geralmente abusiva, por parte destas empresas, o aposentado deve sempre desconfiar de ofertas de serviços para ingressar com ações judiciais quando receber correspondências ou telefonemas de empresas que desconhece a procedência com propostas de vantagens improváveis ou de valores muito elevados para a revisão de benefícios e com afirmação de certeza de “ganho” das ações propostas.

Em caso de não cumprimento do contrato por parte da associação, o consumidor pode rescindir o contrato. Em relação à cobrança de multa, mesmo ela estando prevista no contrato, pode ser considerada abusiva, já que o serviço não foi prestado conforme o acordado. Assim como a negativação de seu nome.
Por isso é importante que o aposentado documente a solicitação do cancelamento de sua inscrição, para evitar cobrança posterior.

Para pedir a revisão da aposentadoria, o segurado deve sempre procurar, primeiramente, o órgão responsável, no caso o INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social). Para isso, é preciso agendar o atendimento pela internet ou pelo telefone 135. Após análise, o órgão comunicará oficialmente ao interessado e abrirá prazo de recurso. Caso o aposentado discorde da decisão tomada, deve procurar “um advogado de confiança”.

Fonte: Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.: https://institutomongeralaegon.org/longevidade-financeira/aposentadoria/revisao-de-aposentadoria