Não adianta torcer o nariz e dizer que não sente sede: cerca de 60% do nosso organismo é formado por água, sendo que uma boa parte (algo em torno de 2,5 litros) é eliminada por meio de suor, urina, respiração e fezes. Obviamente, isso precisa ser reposto, já que o corpo hidratado previne uma série de problemas. Ou seja, é extremamente importante manter o hábito de tomar água.

De acordo com Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês, a desidratação ocorre quando o corpo usa ou perde mais fluido do que se ingere, ficando sem o suficiente para realizar suas funções normais. A matemática é simples: se a pessoa não repõe os líquidos perdidos, ficará desidratada.
Qualquer um pode ficar desidratado, mas a condição é especialmente perigosa para crianças pequenas e idosos. “Entre os mais velhos, eles naturalmente têm um volume menor de água em seus corpos e podem ter condições ou tomar medicamentos que aumentem o risco de desidratação”, pontua o especialista. Isso significa que mesmo pequenas doenças, como infecções que afetam os pulmões ou a bexiga, podem resultar em desidratação.

José Marcelo Natividade, endocrinologista e metabologista, acrescenta que a hidratação inadequada em pessoas mais velhas também pode gerar um maior risco de quedas, infecções no trato urinário, doenças dentais, distúrbios broncopulmonares, pedras nos rins, câncer, constipação e perda da função cognitiva. “Outro problema causado pela desidratação é a demência senil, porém, com tratamento adequado, é reversível”, observa.

Tomar água: quantidade recomendada para os 60+

Desidratação leve e moderada pode ser revertida, ingerindo-se mais líquidos. Já o estágio mais grave exige tratamento médico imediato. Um detalhe: a sede nem sempre é indicador precoce confiável da necessidade de água do corpo. “Muitas pessoas, particularmente idosos, não sentem sede até já estarem desidratadas”, salienta Zilli.

Os sinais e sintomas da desidratação também podem ser diferentes conforme a idade. Entre os adultos, geralmente são observados:

  • Sede extrema
  • Micção com menor frequência
  • Urina de cor escura
  • Fadiga
  • Tontura
  • Confusão

Como lembra Natividade, acima dos 60 anos, os cuidados em relação à hidratação devem ser redobrados, pois o volume de água no organismo é menor do que em um adulto jovem. “Além disso, o mecanismo que avisa que é hora de beber líquidos não funciona tão bem nessa fase da vida”, alerta.

Segundo ele, a quantidade de líquido necessária dos sexagenários em diante é diferente entre os sexos: os homens precisam de 3,7 litros por dia, enquanto as mulheres devem tomar, no mínimo, 2,7 litros/dia.

Como criar o hábito de tomar água

O endocrinologista e metabologista José Marcelo Natividade ensina algumas maneiras de aumentar o consumo de líquido para quem não tem o hábito de tomar água o dia todo:

  • Águas aromatizadas ou temperadas podem ser mais atrativas. Basta colocar rodelas de limão ou folhas de hortelã, pedaços de abacaxi, gengibre, canela em pau, maçã verde e laranja para deixar o líquido saborizado.
  • Sempre que sair, leve uma garrafinha com água fresca. Quando o líquido acabar, aproveite para encher a garrafa novamente, em algum bebedouro ou filtro que encontrar pelo caminho.
  • No inverno, uma ótima opção é tomar diferentes sabores de chás – de preferência sem adoçar ou com uma quantidade mínima de açúcar.
  • Leite também é uma boa fonte de líquido para o organismo. No inverno, então, bem quentinho, é uma ótima pedida!
  • As frutas possuem entre 80% e 90% de água em sua composição e também são excelentes escolhas para uma boa hidratação.
  • Verduras e legumes, após o cozimento, fornecem cerca de metade da água que precisamos ingerir.
  • Outra opção eficiente é tomar um copo de água antes de todas as refeições: café da manhã, lanches (manhã e tarde), almoço e jantar. Essa estratégia ajuda quem ainda não criou o hábito e garante, pelo menos, cinco copos de água por dia.
  • Para os fãs de refrigerante, há uma alternativa mais saudável: misturar água com gás à fruta preferida (sem açúcar, tá?).
  • A água de coco também é uma poderosa fonte de hidratação. Não bastasse ser saborosa, contém propriedades antienvelhecimento, combate o estresse, mantém a pressão sob controle e ajuda na prevenção do câncer.

Fonte: Instituto Mongeral Aegon: https://institutomongeralaegon.org/longevidade-e-saude/tomar-agua