O que é Fibrilação Atrial (FA)?

Fibrilação Atrail (FA) é uma arritmia cardíaca muito frequente e que causa irregularidade no batimento cardíaco.

Apesar de a própria Fibrilação Atrial, que algumas vezes pode ser sentida como um tremor no peito, não ser fatal, ela pode eventualmente levar o indivíduo a ter isquemia cerebral, que pode gerar um AVC (Acidente Vascular Cerebral ou “derrame”), além de outras complicações cardíacas, especialmente se não tratadas.

Quais os sintomas e o que eles significam?

Algumas pessoas com Fibrilação Atrial relatam sintomas de palpitação no peito percebida como batimento cardíaco irregular, abafado ou latejante, falta de ar, fadiga, fraqueza, sensação de coração acelerado, desconforto ou dor no peito.

Contudo, muitas pessoas que possuem FA não apresentam sintoma algum. Por isso, é importante entender o que acontece durante a arritmia e porque ela pode aumentar o risco de problemas na presença ou não de sintomas.

Por que a Fibrilação Atrial pode aumentar o risco de AVC (Acidente Vascular Cerebral ou “derrame”)?

Nosso coração precisa contrair de forma regular e forte para manter o suprimento adequado de oxigênio através do fluxo sanguíneo que sai do coração para o nosso corpo.

Quando o coração está apresentando Fibrilação Atrial, os músculos do coração tremem ao invés de contraírem juntos, permitindo que o sangue se acumule dentro dele. Quando o sangue se acumula, coágulos podem se formar.

Quando estes coágulos são bombeados para fora do coração, eles podem bloquear o fluxo sanguíneo e quando isso acontece no cérebro, uma isquemia pode ser iniciada.

O que causa a Fibrilação Atrial?

Algumas vezes a causa da Fibrilação Atrial não é conhecida, mas alguns fatores podem tornar a pessoa suscetível a desenvolvê-la. Normalmente acontece em pessoas que já tiveram: ataque cardíaco, doença arterial coronariana ou doença arterial vascular, hipertensão não controlada e cirurgia cardíaca.

Outras condições relacionadas com a Fibrilação Atrial:

  • Problemas nas válvulas do coração
  • Inflamação no músculo cardíaco (miocardite)
  • Doenças cardíacas congênitas
  • Superatividade da glândula Tireoide (Hipertireoidismo)
  • Doença Pulmonar aguda ou crônica
  • Apneia do sono

Quem está mais propenso a ter Fibrilação Arterial?

Pessoas idosas estão mais propensas a ter FA do que os jovens, além disso. os risco da FA aumentam conforme o aumento da idade. Ela é arritmia mais comum em pessoas com idade acima de 65 anos. Outros fatores também aumentam os riscos da FA tais como: diabetes, uso excessivo de álcool, uso de drogas e estimulantes.

Ter Fibrilação Atrial é perigoso ou não?

A Fibrilação Atrial é uma das arritmias mais graves. O perigo maior é o aumento do risco de acontecer um AVC (derrame), pois mesmo sem os sintomas esta arritmia pode levar a uma pessoa a ter isquemia e outros problemas cardíacos como: doença cardíaca congestiva, fadiga crônica e suprimento inadequado de sangue nos órgãos.

Como a Fibrilação Atrial é diagnosticada?

Existem vários exames que podem ser feitos quando uma pessoa possui arritmias. Seu médico poderá solicitar um ou mais exames para melhor diagnosticar seu problema.

  • Eletrocardiograma (ECG)
  • Holter de eventos Cardíaco
  • Monitor cardíaco implantável
  • Teste ergométrico
  • Ecocardiograma
  • Tomografia Computadorizada
  • Ressonância magnética

Quais as opções de tratamento?

Existem algumas opções de tratamento. Seu médico decidirá justamente com você o melhor plano de tratamento baseado nos seus sintomas e fatores de risco. Estes fatores incluem  sintomas e causas da Fibrilação Arterial.

Objetivos do tratamento:

  • Prevenção da formação de coágulos (prevenção do AVC/derrame)
  • Controle de frequência cardíaca
  • Retorno dos batimentos ao ritmo normal, se possível
  • Tratar as causas de alteração do ritmo cardíaco e as complicações

Tipos de tratamento:

  • Medicamentoso
  • Cardioversão Elétrica
  • Ablação de Fibrilação Atrial por cateter de radiofrequência
  • Ablação do nódulo atrio-ventricular (Nódulo AV)

O que eu posso fazer para reduzir o risco de complicações relacionadas a Fibrilação Atrial?

Manter hábitos de vida saudáveis é o primeiro passo. Além disso, fique atento para:

  • Manter atividade física regular
  • Manter uma dieta saudável com baixa ingestão de gorduras saturadas
  • Manter o tratamento para Hipertensão
  • Evitar consumo excessivo de álcool e cafeína
  • Não fumar
  • Manter o controle do colesterol
  • Manter o peso ideal
  • Reduzir os níveis de açúcar no sangue

Fonte: Rede Dor – São Luiz