A incontinência urinária é um problema comum que se caracteriza pela perda involuntária de urina pela uretra. Com maior incidência entre as mulheres, esse distúrbio, embora mais comum após os 50 anos, pode acontecer na juventude. A gravidez, o parto e a própria anatomia feminina favorecem a sua ocorrência. Além disso, a bexiga hiperativa, comum em mulheres é uma causa frequente de incontinência.

Sintomas 

São três os tipos de incontinência urinária. Cada um tem sintomas específicos que precisam de atenção para sua identificação. São elas:

  • Incontinência urinária de esforço: perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercícios ou se movimenta.
  • Incontinência urinária de urgência: carateriza-se pela vontade súbita de urinar durante atividades diárias e pode ocorrer perda de urina antes de chegar ao banheiro.
  • Incontinência mista: associa as incontinências de esforço e urgência.

Causas

Distúrbios relacionados à incontinência urinária podem ocorrer por vários motivos. Abaixo, listamos as principais causas conhecidas:

  • Gravidez e parto;
  • Tumores malignos e benignos;
  • Doenças neurológicas que comprometem a bexiga;
  • Obesidade;
  • Tosse crônica dos fumantes;
  • Alterações de bexiga decorrentes do envelhecimento.

Diagnósticos 

Para um diagnóstico preciso, é importante que a mulher relate seus hábitos miccionais, descrevendo, se possível, a frequência e as características de sua perda de urina.  A elaboração de um diário ajudará na análise do caso e facilitará seu tratamento.

Outra possibilidade de diagnóstico é o exame urodinâmico, um alternativa que registra a ocorrência de contrações vesicais e a perda de urina sob esforço.

Se necessário, também poderá ser realizado um exame de vídeo-urodinâmica, facilitando o reconhecimento de qualquer detalhe que fuja do comportamento  esperado do organismo no que diz respeito à continência urinária.

Tratamento 

O tratamento da incontinência urinária varia de acordo com cada caso. Se a incontinência acontecer pelo esforço, seu tratamento é basicamente cirúrgico. Porém, exercícios de fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico podem melhorar os sintomas.

Para a incontinência urinária de urgência, o tratamento pode ser feito com moderação, fisioterapia e até mesmo toxina botulímica e neuromodulação. Um especialista do centro irá indicar a melhor forma de lidar com essa situação, devolvendo à mulher seu bem-estar.

Fonte: Hospital Sirio-Libanês